Por que as pessoas não gostam de trabalhar?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Você sabia que um estudo revelou que, 72% das pessoas não gostam do trabalho que fazem? Foi exatamente este dado alarmante que o professor indiano da universidade americana Harvard, Raj Sisodia, disse um uma palestra dada em São Paulo, revelando que este número é muito mais alto do que se imaginava..

E  os números ainda são mais alarmantes: Desse total de 72%, 18% são pessoas “ativamente desengajadas” e passam a ter um interesse, mesmo que de forma inconsciente, de prejudicar a empresa de alguma forma. 

Ainda sobre os dados apresentados na palestra, o professor afirma que a taxa de completamente desengajados chega a 20%. Para que você tenha uma ideia, a estimativa é de que a cada 05 pessoas, 01 esteja dentro desta estatística.

Gabriel, e os profissionais engajados?

Calma! Por mais que existam esses números gritantes sobre as pessoas estarem infelizes nos seus trabalhos, existem pessoas que aidnda gostam da profissão que exercem.

Essa mesma pesquisa apontou que este número é de 28% a 30%– e tem diminuído com o passar dos anos, não passando dos 30% nos últimos cinco anos.

E por que as pessoas trabalham no que não gostam?

Essa é uma pergunta que sempre rola e a resposta é bastante padrão: necessidade. Não tenho a menor dúvida de que todas as pessoas precisam e devem trabalhar, principalmente, pela necessidade financeira.

Leia também: Como mudar para uma carreia completamente diferente da minha?

Mas o que poucas pessoas conseguem ver é que não precisam estar o tempo todo dentro de um trabalho que não gostam, já que ao longo da nossa vida profissional, podem surgir oportunidades para que seja feita uma mudança.

Não adianta estar ciente do problema e não mudar este padrão
Não adianta estar ciente do problema e não mudar este padrão

Contudo, para mudar é necessário que se rompa a bolha chamada Zona de Conforto e assim, buscar viver fora dela fazendo algo que realmente você goste, que aproveite os seus talentos. O seu real propósito de vida!

Abaixo, separei seis dicas muito interessantes para que você mude a sua ótica de visão sobre o assunto e enxergue o seu verdadeiro potencial. Vamos lá?

  • Você sempre será melhor e se sentirá mais feliz e realizado se você fizer algo que você goste (óbvio). Tanto é que se fosse possível, você o faria até de graça.
  • É algo que você sabe realizar com facilidade Você parece dotado e tem uma aptidão bastante natural para desempenhar suas funções nesta área.
  • Esse talento é o grande responsável pelos seus momentos felizes. Desde sempre, é algo que você gostou de fazer e lhe proporcionou momentos de recompensas e elogios.
  • Foi uma coisa tão natural para você aprender a fazer que sequer se lembra de quando você começou a realizar essa atividade. Você só sabe que faz- e faz aquilo muito bem.
  • Você se sente útil, realizado, ao fazer isso. É o seu propósito de vida, algo que você foi predestinado a fazer e por isso, fui naturalmente.

Tenho certeza que ao ler os itens acima, você se identificou com alguma coisa. Na hora, já veio na sua cabela aquilo que você não vive sem e que gostaria de monetizar de alguma forma, não é mesmo? Mas provavelmente você ainda não sabe como. Eu entendo você, de verdade. Pode confiar em mim, eu passei por uma transição de carreira e já tive essa dúvida diversas vezes.

Eu falo sobre isso no vídeo: Como mudar de vida trabalhando com o que ama

E aí, qual será o próximo passo? Escreva nos comentários ou partilhe comigo a sua experiência no WhatsApp!

Scroll Up