Não gosto do meu trabalho, o que devo fazer?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Estamos no meio da semana e, a essa altura, muitas pessoas começam a iniciar a contagem regressiva para o final de semana. Sem problemas, eu também conto rs! O problema maior está em quando a sua função dentro da empresa é apenas esta: contar quantos dias faltam para você não ter que ir trabalhar.

Para você ter uma ideia da gravidade de tudo isso, estima-se que 72% das pessoas que trabalham no mundo NÃO gostam dos seus empregos. Vivem se amargando pelos cantos, insatisfeitas com a vida que levam, dizendo para si mesmas que não podem largar aquela situação devido as contas que ainda vão chegar.

Leia também: 05 sinais que está na hora de mudar de profissão

Mas, tenho pra mim que 72% de trabalhadores é um número muio expressivo, né? O primeiro ponto que todo mundo já deve ter te dito é: “Não se conforme com a situação”. Beleza! Mas o que vem depois disso? E é nesse ponto que o artigo de hoje nasceu. Vamos lá?

Identifique o seu maior problema

Antes de sair por aí chutando o balde e praguejando contra todos nas primeiras horas do dia, a minha dica é que você reflita a real raiz do seu problema. É a área que você atua? Ou é a indústria como um todo? É a cultura que a sua empresa prega? É o chefe novo que chegou a pouco no escritório? Identifique os pontos que estão te incomodando e anote.

Se por acaso perceber que é um fator passageiro- ou que pode ser resolvido- vale a pena esperar mais um pouco. Está com pouco horário de almoço? Procure conversar com o seu chefe ou procurar outras alternativas. Não vale a pena chutar tudo pro alto por um incômodo que, certamente, passará.

Agora, se for uma questão maior, mais séria, você já sabe o que, com certeza, deverá evitar.

Não superestime essa situação

Quando a gente está diante uma situação ruim, é muito comum que a gente diga para nós mesmos que foi só mais um dia, que logo tudo vai passar, que você precisa daquele emprego… Ou seja, vamos superestimando essa relação viciosa- e isso não faz bem. Como já vimos antes, 3 a cada 4 pessoas não gostam dos empregos que possuem. Lembre-se: estar neste barco é mais comum do que se imagina.

Não devemos sofrer em excesso, mas também não podemos fingir que está tudo bem. Seja realista com você e não passe panos quentes.

Seja uma pessoa discreta

Ninguém precisa saber sobre o seu descontentamento. Não precisa compartilhar no Facebook pessoal lamúrias sobre o seu emprego, tão pouco com os colegas de trabalho. Isso poderá manchar a sua imagem. Ter profissionalismo nesta hora é bastante importante, haja assim.

Precisa de alguém para lhe ouvir e conseguir orientar você da melhor maneira possível? Visite seus amigos ou familiares. Ah, se servir de consolo, eu também estou disponível no WhastApp, é só me chamar! 😉

Comece a pensar em outras soluções

Você verificou que não está satisfeito com o setor que vem atuando… E tudo bem! Porquê não considerar outras opções? Para isso, você pode consultar um profissional de Transição de Carreira (A gente conversou um pouco sobre isso neste artigo aqui).

Ele saberá orientar você da melhor forma possível, sem fazer com que você haja pelo impulso- e acabe se arrependendo depois.

Se for pra sair, saia com profissionalismo

Ficou decidido que a sua hora naquela empresa acabou? Então, seja profissional. Converse com o seu chefe antes de conversar com o pessoal da empresa. Ninguém sabe as voltas que o mundo dá em 05, 10 anos, né? Melhor sair deixando a porta aberta 😉

E aí, você já se pegou nesta situação? Conta um pouco mais pra gente nos comentários abaixo! Quem sabe eu não posso te ajudar de alguma forma?

Scroll Up